ESTAMOS APRESENTANDO

Transmissão de Futebol Amador 2020

Com: Clésio Lemes, José Delcides, Bodinho
Horário: 15:45 - 18:00
AS MAIS + DA LASER
  • 1
    ROGER E GUSTAVO

    ROGER E GUSTAVO

    QUEM DIRIA
  • 2
    EDUARDO COSTA

    EDUARDO COSTA

    AINDA TÔ AÍ
  • 3
    TRIO PARADA DURA

    TRIO PARADA DURA

    BARRA PESADA
  • 4
    LUAN SANTANA

    LUAN SANTANA

    ASAS
  • 5
    CHICO REY E PARANÁ

    CHICO REY E PARANÁ

    CANARINHO PRISIONEIRO
PUBLICIDADES
ESTATÍSTICAS
    Usuários Online:  4
 

Notícias » Geral

09 de Outubro de 2020
Gerente jurídico questiona em documento enviado a padre Robson para justificar crimes
Promotores afirmam que esta é uma das provas que indicam irregularidades na associação e criticam entendimento do TJ de bloquear apuração por entender que não há crimes.
Clique para ampliar

Parecendo prever que o Ministério Público de Goiás (MP-GO) investigaria as transações milionárias da Associação Filhos do Pai Eterno (Afipe) e temendo consequências judiciais, um gerente jurídico da entidade escreveu um documento com questionamentos sobre como deveriam justificar às autoridades as evidências de "lavagem de dinheiro, organização criminosa, desvio de finalidade" e outros possíveis crimes. O documento, que estava endereçado ao padre Robson de Oliveira, foi divulgado nesta quinta-feira (8) por promotores de Justiça.

O sacerdote sempre negou qualquer irregularidade enquanto esteve à frente da Afipe, entidade fundada por ele e responsável pela administração do Santuário Basílica de Trindade. A defesa do padre disse em nota que "causa surpresa membros do Ministério Público divulgarem publicamente material obtido irregularmente em busca e apreensão de operação que o Tribunal de Justiça mandou arquivar"(leia a íntegra ao final).

O nome do gerente não foi divulgado, por isso, o G1 não localizou a defesa dele para se manifestar. Já a nova diretoria da Afipe informou que, "independente da decisão da Justiça", continuará seu planejamento à frente da entidade, que inclui o trabalho de auditoria, reforma administrativa e demais ações.

Os promotores não informaram quando o documento foi escrito. A revelação de algumas supostas provas contra o padre Robson e membros da associação, até então guardadas em sigilo, vieram à tona dois dias depois de o Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO) trancar a investigação que os promotores conduziam contra o pároco.

Por meio de um habeas corpus, os advogados do sacerdote conseguiram, na terça-feira (6), paralisar o andamento do processo dentro do tribunal.

O MP disse que vai recorrer.


(Fonte: G1/Goiás)


+ NOTÍCIAS


Copyright © 2020 - << Rádio Laser FM - Catalão-GO>>