ESTAMOS APRESENTANDO

Programa Radiola - As + Velhinhas

Com: Rádio Laser FM
Horário: 04:00 - 07:00
AS MAIS + DA LASER
  • 1
    Wesley Safadão

    Wesley Safadão

    Ar condicionado no 15
  • 2
    Simone e Simaria

    Simone e Simaria

    Regime fechado
  • 3
    Gusttavo Lima

    Gusttavo Lima

    Abre o Portão que eu Cheguei
  • 4
    Marcos e Belutti

    Marcos e Belutti

    Eu era
  • 5
    Máida e Marcelo

    Máida e Marcelo

    Pra mim Continua
  • 6
    Racyne e Rafael

    Racyne e Rafael

    Cabaré
  • 7
    Victo e Léo

    Victo e Léo

    Senhorita
PUBLICIDADES
ESTATÍSTICAS
    Usuários Online:  4
 

Notícias » Educação

11 de Junho de 2015
Greve de professores paralisa 25 das 63 universidades federais, diz sindicato
Entre os técnicos-administrativos, a paralisação atinge 58 universidades e três institutos federais
Clique para ampliar

A greve dos professores de instituições federais de ensino superior, iniciada dia 28 de maio, contabiliza hoje (11) a adesão de docentes de 25 das 63 universidades federais e de um instituto federal. Entre os técnicos-administrativos, a paralisação atinge 58 universidades e três institutos federais.

Os dados foram divulgados pelo Sindicato Nacional dos Docentes de Instituições de Ensino Superior (Andes-SN) e pela Federação de Sindicatos de Trabalhadores Técnico-Administrativos em Instituições de Ensino Superior Públicas do Brasil (Fasubra). 

Leia mais:

Em assembleia, professores da rede estadual de SP decidem manter greve

Em SP, professores usam WhatsApp para convocar alunos a participarem de greve

Com professores em greve, governo de SP faz proposta para temporários

O presidente da Andes-SN, Paulo Rizzo, explicou que não há previsão para o encerramento da paralisação. Segundo ele, o Ministério da Educação não cumpriu um acordo firmado com a categoria em 2012 e não apresentou proposta de negociação para a pauta de reividicações.

“Não gostaríamos que tivesse greve. O tempo de paralisação dependerá do governo. Queremos que chamem para negociar. Tememos que a greve seja longa”, acrescentou.

A opinião é compartilhada pelo coordenador geral da Fasubra, Rogério Marzola. “Enquanto não nos apresetarem uma proposta, não tem horizonte para o fim da greve”, explicou. Para Marzola, antes da paralisação a federação encaminhou ofícios ao MEC com a pauta de reivindicação dos técnicos-administrativos.

As principais reivindicações dos professores são a reestruturação da carreira, garantia deFINANCIAMENTO público estável e suficiente às instituições e abertura de concursos público. A pauta dos técnico-administrativos inclui reposição salarial de 27,3%, aprimoramento da carreira, com correção das distorções, piso de três salários mínimos e fim da terceirização.

De acordo com professores e técnicos, o movimento ganhou força após o anúncio dos cortes no Orçamento. A área de educação foi uma das mais penalizadas, com o contingenciamento de R$ 9,423 bilhões.

Na véspera da paralisação, o MEC divulgou nota criticando a decisão pela greve. Representantes do ministério esclareceram que o movimento só faria sentido "quando estivessem esgotados os canais de negociação". Ontem (10), em audiência pública no Senado, o ministro Renato Janine reafirmou que a pasta está aberta ao diálogo.

Na terça-feira (9), o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão informou, por meio de nota, que uma contraproposta para as instituições federais de ensino será apresentada até o fim de junho. Essa contraproposta faz parte do contexto das negociações realizadas com o conjunto do funcionalismo público.

 

(Fonte: Último Segundo)


+ NOTÍCIAS


Copyright © 2018 - << Rádio Laser FM - Catalão-GO>>